Os 10 melhores filmes de 2016

Houve uma série de filmes memoráveis ao longo deste ano e aqui ficam os melhores, escolhidos a dedo pela Esquire.

A poucos dias de 2017, é a altura de fazer balanços e, de acordo com a revista “Esquire”, a retrospetiva daquilo que de melhor se fez no grande ecrã, ao longo deste ano, mimou os cinéfilos com escolhas ecléticas – evidenciaram-se sagas de super-heróis, thrillers de terror de baixo orçamento, comédias distópicas bizarras e até importações estrangeiras politicamente orientadas.

Conheça aqui a lista dos melhores filmes de 2016 – e quando estreiam em Portugal.

A Lagosta

O filme de Yorgos Lanthimos apresenta uma sociedade distópica que se subdivide em três ambientes: a cidade, onde vivem os casais; o hotel, para onde vão os solteiros ou aqueles que perdem um parceiro – seja por divórcio ou viuvez – e um local onde estes terão 45 dias para encontrar alguém sob pena de serem transformados num animal à sua escolha; e a floresta, para onde se refugiam aqueles que se insurgem contra o sistema e permanecem solteiros, e que querem manter a sua identidade humana.

As regras são simples e David (Colin Farrell) precisará de conhecer uma mulher especial com características comuns às suas.

O elenco internacional conta ainda com os atores Rachel Weisz, John C. Reilly, Léa Seydoux, Jessica Barden, Olivia Colman, Angeliki Papoulia e Ashley Jensen, entre outros.

O filme custa 14,99€ na Fnac.


Ensurdecedor

Isabelle Reed era uma fotojornalista independente e fragueira. No terceiro aniversário da sua morte prematura, o seu filho mais velho regressa a casa para uma exposição de homenagem em honra da mãe. Ao chegar, Jonah tem dificuldade em conciliar os seus sentimentos com os do pai Gene e do irmão mais novo Conrad; afeições essas que se dirigem a uma mulher que recordam de forma tão distinta.

O filme é de Joachim Trier e conta com Isabelle Huppert, Gabriel Byrne e Jesse Eisenberg.

O DVD custa 11,99€ na Fnac.


Jackie

Nesta fase da história, Jaqueline Kennedy (Natalie Portman) fica inesperadamente viúva do ex-presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy. A produção mostra um retrato fascinante da ex-primeira-dama, com momentos de descontrolo, de desafio e de fragilidade. Tem instantes de profunda futilidade e outros onde transborda dignidade.

O drama biográfico é de Pablo Larraín e escrito por Noah Oppenheim. Natalie Portman, Peter Sarsgaard, Greta Gerwig e Billy Crudup dão vida às personagens. O realizador chileno lançou ainda “Neruda”, no mesmo ano, obra que tem dado o que falar.

A estreia de “Jackie” em Portugal está prevista para dia 9 de fevereiro e a imprensa especializada no setor encaminha o filme para os Óscares. A produção já arrecadou o prémio de melhor argumento no Festival de Veneza.


A Criada

Na Coreia do Sul dos anos 1930, durante a ocupação japonesa, a jovem Sookee (Kim Tae-ri) é contratada para trabalhar para uma herdeira nipônica, Hideko (Kim Min-Hee), que leva uma vida isolada ao lado do tirano tio Kouzuki. Sookee tem, na verdade, a intenção de extorqui-la mas o jogo pode mudar quando afloram emoções e motivações subsequentes.

O filme coreano de Park Chan-Wook conta com Kim Min-Hee, Kim Tae-Ri, Ha Jung-Woo e Cho Jin-Woong. “A Criada” saiu dos restritos circuitos de festivais e já foi apontado como um dos preferidos na corrida aos Óscares. A estreia no nosso país está prevista para dia 26 de janeiro de 2017.

Moonlight

Este é um filme independente que já tem feito furor no perímetro dos festivais de cinema. Dirigido por Barry Jenkins, “Moonlight” é sobre a jornada de Chiron, um jovem negro, nos Estados Unidos. A história divide-se em três atos: que acompanham o seu crescimento: criança, adolescente e adulto.

Em criança, Chiron vive um conflito interno enquanto tenta entender a sua própria identidade e sexualidade, sofrendo bullying na escola. Durante a adolescência é atormentado pela própria dúvida sobre si mesmo. E acaba por se tornar num adulto frio e fechado.

A produção, conduzida por Barry Jenkins, demorou oito anos a ser realizada e há quem diga que talvez consiga romper o padrão de produções similares (como “Boyhood”, de Richard Linklater), tornando-se em algo singular. No elenco destacam-se Trevante Rhodes, Ashton Sanders, Alex Hibbert, ndré Holland, Jharrel Jerome, Jaden Piner, Janelle Monáe, Naomie Harris, Mahershala Ali e Patrick Decile.

Ainda não tem estreia marcada para Portugal.


Green Room

Uma jovem banda punk, os The Ain’t Rights, dado o pouco sucesso que tem tido, decide aceitar uma proposta para atuar num bar no interior do Oregon. No final do espetáculo, testemunham um assassinato terrível. O gangue quer eliminar todas as testemunhas e acaba por cercar a banda trancada numa sala verde (o green room), com o intuito de os matar. Os músicos terão de enfrentar o grupo de skinheads para sobreviver e o princípio será matar ou morrer.

Este é um sangrento thriller realizado por Jeremy Saulnier explorando uma espécie de terror neonazi. As personagens são encarnadas por Anton Yelchin, Imogen Poots, Alia Shawkat, Patrick Stewart, Mark Webber, Joe Cole e Macon Blair.

O DVD custa 9,99€ na Fnac.


O convite

Will e Eden são um casal abalado por uma tragédia pessoal, que um dia recebe o convite para uma reunião de amigos na casa da ex-mulher dele. Há convites que não devem ser aceites…

Ao longo do jantar, o grupo apresenta um comportamento que intriga Will. Será só paranoia ou os anfitriões guardam um segredo? Will começa a suspeitar que os visitantes têm um plano contra ele. Há momentos onde duvidamos da sua estabilidade emocional.

Este é um filme de Karyn Kusama e conta com Michiel Huisman, Logan Marshall-Green, John Carroll Lynch e Tammy Blanchard.


Ela

Michèle (Isabelle Huppert) é uma poderosa mulher, que gere uma empresa de jogos de vídeo, mas a sua vida transforma-se quando um dia é sexualmente atacada em sua casa por um homem mascarado. Não apresenta queixa à polícia, mas equipa-se com machados e armas. Acaba por suspeitar quem é o atacante e embarca numa história de amor doentia, com violência à mistura.

“Ela” é um filme francês de Paul Verhoeven e encerrou a competição do Festival de Cannes deste ano. Conta com Isabelle Huppert, Laurent Lafitte e Anne Consigny nos papéis principais.


Manchester à Beira-Mar

“Manchester à Beira-Mar” é um drama emotivo que trata de um tio forçado a voltar para sua cidade natal depois de descobrir que o seu irmão faleceu. Aos poucos, vê-se forçado a tornar-se um pai para o sobrinho e a envolver-se na resolução de segredos trágicos do seu passado.

Escrito e dirigido por Kenneth Lonergan (“Gangues de Nova York”), o filme integra Casey Affleck, Michelle Williams, Kyle Chandler e Lucas Hedges.

Tem estreia marcada para dia 19 de janeiro de 2017.


Paterson

Paterson (Adam Driver) é motorista de um autocarro na cidade de Paterson, em Nova Jersey – ele e a cidade partilham o mesmo nome. Ele, um trabalhador singelo numa cidade pequena que repete uma rotina simples, limita-se a conduzir o seu meio de transporte, a observar a paisagem enquanto o faz, a escrever poesia num caderno de notas, a passear o cão, a beber cerveja e, no final, volta para casa para a esposa, Laura. Já ela tem novos sonhos todos os dias e é uma jovem aspirante a cantora (ou pintora, ou cozinheira, depende do dia). O filme observa silenciosamente a rotina de teor humano, os pequenos detalhes da vida comum… A poesia instala-se como pano de fundo.

Este drama de 2016 foi escrito e dirigido por Jim Jarmusch. Os protagonistas são Adam Driver e Golshifteh Farahani.

Estreia a dia 2 de fevereiro de 2017 em Portugal.

Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço