Os 10 melhores filmes de Robert Redford

Robert Redford completa 80 anos no dia 18 de agosto e é uma das figuras em destaque na exposição “Terry O’Neill – Faces of The Stars”. Em semana de aniversário, recorde os seus melhores papéis.

Robert Redford é, sem dúvida um dos atores mais marcantes da história de Hollywood. Esta semana, no dia 18 de agosto, completa 80 anos. Precisamente numa altura em que é uma das figuras de destaque da exposição de fotografia “Terry O’Neill – Faces of the Stars”, inserida no âmbito do projeto “A Arte Chegou ao Colombo”.

Mas não se pense que a idade está a parar aquele que foi um dos maiores sex symbols do cinema nos anos 70 do século passado. Redford entra atualmente no novo filme da Disney, “A Lenda do Dragão”, que estreou na semana passada em Portugal e prepara-se para gravar um novo filme da Netflix, ao lado de Jane Fonda, no Colorado.

O ator foi casado com a ativista Lola Van Wagenen, com quem teve quatro filhos e tem agora por conjugue Sibylle Szaggars. E também é ele próprio um forte ativista ambiental e defensor dos direitos dos Índios dos Estados Unidos, entre outras causas. Aliás, como realizador e produtor, os seus filmes muitas vezes refletem o seu ponto de vista político.

Redford arrecadou o Óscar de Melhor Realizador por “Gente Vulgar”

No final da década de 1980, criou o maior festival norte-americano de filmes independentes, o Sundance Film Festival, com o intuito de ajudar novos cineastas. Chegou mesmo a receber o título de “Chevalier” – cavaleiro – da Ordem das Artes e das Letras, uma condecoração honorífica francesa no âmbito artístico e literário, pelo seu trabalho no Sundance Institute, como promotor desses filmes.

Redford arrecadou o Óscar de Melhor Realizador por “Gente Vulgar” (Ordinary People), em 1981 e recebeu outro honorário, em 2002, pelo seu trabalho como ator, realizador, produtor, fundador do Sundance, e por ser uma inspiração para os cineastas independentes por todo o mundo. Entre outros prémios, ainda as nomeações são incontáveis, para Óscares, Baftas, Emmys, entre outros.

É conhecido por ter tido uma longa amizade com o ator Paul Newman (1925-2008) e com o realizador Sydney Pollack (1934-2008), aparecendo em muitas das suas produções.

Relembre aqui os seus melhores filmes:

“A Golpada” (1973) – Este filme de George Roy Hill valeu a nomeação ao Óscar de Melhor Ator a Redford e foi vencedor de sete Óscares da Academia (1974), incluindo o de Melhor Filme. A Golpada é uma comédia passada nos anos 30, onde dois vigaristas (Robert Redford e Paul Newman) tentam vingar-se de um criminoso. O DVD custa 8€ na Fnac.

“Dois Homens e um Destino” (1969) – Novamente ao lado de Paul Newman, Redford perpetua um dos melhores “westerns” de sempre, onde dois ladrões assaltam um comboio de pertencente a alguém muito importante e temido, que não vai dar tréguas. O filme é de George Roy Hill e conjuga aventura, romance e comédia.

“Três dias de Condor” (1975) – Neste filme de Sydney Pollack, Joseph Turner (Redford) é um investigador da CIA pago para ler livros e tentar encontrar códigos, significados escondidos. Um dia, quando regressa do almoço, encontra os seus colegas assassinados. Agora, Turner tem de descobrir o assassino e as suas razões.

“Os Homens do Presidente” (1976) – Este é um filme obrigatório para quem passa pelas aulas de jornalismo. Em “Os Homens do Presidente”, de Alan J. Pakula e onde Redford foi produtor executivo, dois repórteres do Washington Post (Dustin Hoffman e Robert Redford) seguem uma história cujas revelações que se irão seguir vão levar à demissão de um Presidente. É um poderoso thriller que recai sobre o caso Watergate – um dos maiores escândalos políticos de sempre e uma lição de jornalismo de investigação. O filme recebeu quatro Óscares. Custa 8€ na Fnac.

“O Candidato” (1972) – Dirigido por Michael Ritchie, este filme ganhou o Óscar de Melhor Argumento Original. Aliás, o argumento foi escrito por Jeremy Larner, um profissional que escrevia discursos para Eugene McCarthy na campanha presidencial de 1968. Redford é Bill McKay, um advogado de esquerda da Califórnia, que é inscrito por Marvin Lucas (Peter Boyle), chefe da campanha, para uma cadeira no Senado. Inicialmente, a sua honestidade aos poucos foi conquistando o eleitorado, mas logo vai sendo corrompida.

“O Grande Gatsby” (1974) – Baseado num dos maiores clássicos da literatura, o romance de F. Scott Fitzgerald, Redford é o Jay Gatsby, um milionário extravagante. Nick Carraway (Sam Waterston) é o seu novo vizinho que fica fascinado com o estilo de vida de Gatsby. Aos poucos Carraway passa a frequentar o círculo de Gatsby e percebe a paixão deste por Daisy Buchanan (Mia Farrow). A interpretação é irreprovável, o filme é realizado por Jack Clayton, conta com o argumento de Francis Ford Coppola e do próprio Fitzgerald. Custa 3,5€ na Fnac.

“África Minha” (1985) – Vagamente baseado na obra autobiográfica e homónima de Karen Blixen, esta é uma história que fica no imaginário. É mais um filme de Sidney Pollack, onde Redford contracena com Meryl Streep, relatando a história real da baronesa dinamarquesa Karen von Blixen-Finecke, uma mulher independente e forte que dirige uma plantação de café no Quénia, por volta de 1914. Karen, apaixonada pela África e pela sua gente, é casada por conveniência com um barão, mas acaba por se apaixonar pelo misterioso caçador Denys Finch Hatton (Redford). O filme foi vencedor de sete Óscares e custa 8€ na Fnac.

“O Encantador de Cavalos” (1998) – Uma adolescente (Scarlett Johansson) e a sua amiga sofrem um acidente quando andavam a cavalo e são atropeladas por um camião. A colega morre e ela perde uma perna. O seu cavalo também fica bastante ferido e propõe-se sacrificá-lo, mas a mãe da jovem (Kristin Scott Thomas) não autoriza que o matem e contrata um especialista em cavalos (Robert Redford). Este filme, onde o ator foi também produtor e realizador, fez Scarlett Johansson saltar para o estrelato. Custa 12,67€ na Fnac.

“Quiz Show” (1994) – O filme conta a história de um programa de televisão, (chamado Twenty One) no qual o concorrente deve responder a perguntas de cultura geral, mas o concurso é uma fraude e que há um competidor que conhece as perguntas de antemão. Nesta longa-metragem, Robert Redford não é o ator principal, nem sequer entra na interpretação. É o realizador e recebeu uma nomeação ao Óscar como tal. A produção recebeu mais três nomeações, sendo uma para Melhor Filme. O elenco conta com John Turturro, Ralph Fiennes e Rob Morrow.

“Gente Vulgar” (1980) – Este é o filme que valeu a Robert Redford o Óscar de Melhor Realizador, tendo recebido ainda o Óscar de Melhor Filme, Melhor Guião Adaptado e valeu a Timothy Hutton o de Melhor Ator Secundário. Recebeu ainda cinco Globos de Ouro, entre muitos outros prémios. O guião foi adaptado a partir do romance homónimo de Judith Guest e a história relata a transformação na vida de uma família causada por um acidente, que vitimou um dos filhos. O irmão sente-se culpado pela tragédia e a mãe tenta manter a família junta.

Publicação
17 de Agosto de 2016
Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço